Seria o feedback um presente?

Imagem1Em muitos momentos me peguei pensando se eu poderia fazer algum comentário ao receber um feedback ou se seria mais inteligente apenas ouvir o conteúdo,  mesmo que meu estômago remoesse, meu coração disparasse e eu tivesse a sensação de estar prestes a cair dura no chão. Deveria ignorar todos os meus sentimentos e apenas, diplomaticamente, continuar a sorrir e dizer: muito obrigada, o feedback é sempre um presente!? Seria o feedback um presente de grego que alguém esqueceu de me avisar?

Assunto complicado, que tira o sono e nos faz pensar como tudo poderia ser mais simples se lidássemos melhor com o tema feedback. Seja no ambiente profissional ou pessoal, as relações parecem permeadas de pequenos desentendimentos e necessidades desencontradas, que agravadas pela falta de conversa, alimentam os monstros da convivência.

O feedback, antes de qualquer coisa, é a percepção que o outro tem a seu respeito. Percepção não necessariamente é uma verdade absoluta, mas é uma oportunidade de entender o que a outra pessoa pensa sobre suas ações. Ouvir o feedback é fundamental, mesmo que você não concorde com ele. No entanto, ignorar seus sentimentos e fingir que o conteúdo do feedback não tenha lhe deixado abalado poderá não ser a melhor alternativa, principalmente se seu corpo teimar em dar pistas visíveis de que algo não está legal.  Perceber suas reações e sentimentos poderá ser uma forte estratégia para seu controle emocional, pois você ajudará seu cérebro a ganhar tempo para poder agir com a razão.

Se achar oportuno, também poderá falar sobre como está se sentindo, expressar seu ponto de vista, explicar algum ponto ou fazer comentários, transformando esse momento em uma boa oportunidade de entendimento. Mas não faça disso um briga, um cabo de guerra de diferentes percepções. Nesta conversa não tem vencedor ou perdedor, não é hora de convencer, mas sim de entender o que você fez que levou o outro a ter tal percepção. Afinal, feedback não é uma conversa unilateral.

Talvez tenham esquecido de me avisar que o feedback poderá, sim, ser um presente de grego, se eu não fizer todas as perguntas necessárias para entendê-lo e não me der conta sobre minhas reações e sentimentos, fingindo agradecer o que nem consegui ouvir direito. Inteligente é lidar com o feedback recebido como um presente, entendendo o que o outro pensa, perguntando para entender e depois avaliar e tomar a melhor decisão.

Andréa Soares Geraldes

Conheça nosso treinamento de Feedback

Conheça nosso treinamento de Conversas Difíceis